Este artigo da revista Intexto (B1 em Ciências Sociais Aplicadas) do Programa de Pós-graduação em Comunicação e Informação | Universidade Federal do Rio Grande do Sul, busca entender a intenção da mídia por trás do sistema de comentários de leitores analisando seu próprio discurso, apresentado nos termos e condições de uso da plataforma. A investigação é uma tentativa de desvendar, na linha de conduta exposta pelo veículo, o que estes esperam ao manter o dispositivo, mesmo depois deste ter se mostrado um problema na sua administração, já que requer um investimento alto na moderação de postagens, e por não terem encontrado um papel sólido na rotina produtiva dos veículos. A partir da dissecação detalhada deste texto, de orientações de uso disponibilizado nas páginas dos veículos, e a partir dos pressupostos do Contrato Midiático de Pratrick Charaudeau, este artigo analisa os textos disponíveis aos leitores que se dispõem a comentar nos sites dos jornais Folha de S. Paulo, que adota um modelo pré-moderado de inserção, e O Globo, que prefere a postagem de moderação posterior. O resultado do estudo mostra que os veículos não querem, efetivamente, promover um diálogo com leitores por meio da plataforma e estão, substancialmente, preocupados em manter o controle do dito. 

Confira no Link: file:///C:/Users/Jesus/Documents/estudos/publicacoes/artigos_thaisa/2017/publicados/intexto-b1/63867-273364-3-PB.pdf

 

ou baixe o pdf:63867-273364-3-PB